A neutralidade da internet em discussão


Talvez o leitor não saiba o que é isto de neutralidade da internet (ou net neutrality, como lhe chamam os especialistas) O jornal Público explica:

"A neutralidade prevê o tratamento igualitário dos pacotes de dados, sem distinção de preços para o conteúdo. As operadoras e outras empresas online não devem discriminar utilizadores conforme os serviços ou conteúdos a que acedem, impedindo que se cobre mais a quem aceda a vídeos ou aplicações para partilha de ficheiros, por exemplo. Assim, as empresas deixam de poder propor ligações e pacotes diferenciados para aceder apenas a redes sociais ou a emails."

Este foi um dos princípios fundadores da internet.

Na semana passada, no entanto, foi aprovada uma nova lei nos EUA que matou o sonho de alguns crentes na Neutralidade da Internet. Trata-se de uma lei que vai permitir negociar largura de banda. Isto significa que as empresas detentoras da infra-estrutura que suporta a internet vão poder cobrar  às empresas que desenvolvem sites a rapidez do serviço. A consequência imediata é que podem passar a existir sites de "acesso rápido" e "sites de acesso lento", de acordo com as quantias que cada site está disposto a pagar. 

Também durante a semana passada, decorreu no Brasil, a conferência NETmundial, onde se discutiram, entre outros assuntos, o papel dos governos na regulação da internet. A neutralidade da internet foi um dos assuntos trazidos para discussão. Este é um tema que parece estar na moda e que, na verdade, nos diz respeito a todos, mesmo que o representante da AT&T nessa conferência tenha dito que  "Não há consenso em noções de neutralidade, que podem variar de país a país".

Maura Bouça, UX Designer

Comment