"Hoje comprei um vestido giríssimo na Mango!", "Aqui estou eu a tentar montar esta estante do IKEA!", "Não é giro o meu relógio da Swatch?"

Todos nós fazemos isto online — menções a marcas e a compras que fizémos fazem parte das nossas interações sociais, mas quantos de nós é que efetivamente utilizamos as redes para comprar e interagir com outros compradores? 

As marcas já perceberam o potencial que as nossas demonstrações de afeto podem ter nas vendas, mas parece que o social-mobile shopping continua a não ter muita expressão, seja porque os utilizadores preferem separar a sua atividade social das compras, seja porque há resistência em adotar novos hábitos ou mesmo devido a targets demográficos mais difíceis de alcançar, como a The Next Web indica.

Isto não impede contudo que algumas empresas nadem contra maré. Deixamo-vos os exemplos da Wanelo, Starbucks e WhereToGet.

A Wanelo, que se apresenta com um centro comercial digital, dá a possibilidade aos seus utilizadores de criarem as suas lojas, adicionar produtos e seguir pessoas, mantendo a lógica do Pinterest, com a diferença que aqui podem comprar aqueles produtos que tanto querem diretamente na app.

O Tweet a-Coffee da Starbucks é muito simples — após sincronizarem a vossa conta no Twitter à aplicação podem enviar um tweet a um amigo ou seguidor para que recebam um voucher de 5$ a ser utilizado na loja.

Viram alguém na rua ou numa série com uma blusa engraçada e gostariam de saber onde é que a podem comprar? A solução está na WhereToGet onde os utilizadores podem ajudar e dizer-vos com bastante certeza onde podem adquirir o produto. E se a marca estiver presente na app, tanto melhor. 

Tanya Figueira, Community Manager

Comment