Na semana passada, falei-vos da nova actualização do facebook messenger, uma tentativa  de aproximar esta aplicação de outras aplicações de conversação como o WhatsApp ou o Snapchat.

Pois bem, nem uma semana se passou e o snapchat (aplicação que permite aos utilizadores enviarem mensagens a partir de smartphones que desaparecem automaticamente ao fim de alguns segundos) lança a sua maior (e mais pertinente?) actualização de sempre.

Mas mais interessante do que as próprias funcionalidades adicionadas, foi a reacção sentida por aqueles que mais utilizam a plataforma - os adolescentes. Num artigo publicado pela "The Verge", intitulado de Teens are going completely bananas for new Snapchat, podemos ler inclusive o testemunho de uma professora que relata a actualização do snapachat como o momento de maior excitação (e descontrolo) na sala de aula experienciado nos seus 16 anos de profissão.

Mas o que levou a toda esta emoção?  O ponto chave do snapchat - a efemeridade e secretismo das mensagens mantém-se mas passa agora a incluir:

  • Chat por mensagens escritas 
  • Conversações de vídeo
  • Filtros para as fotografias
  • Replay (Uma vez por dia é possível escolher um snap para rever)
  • Apagar por default (mas podendo guardar-se mensagens seleccionadas)

Com este update pretende-se tornar a comunicação através desta aplicação mais humana. Se dois amigos estão na rua a conversar, a sua conversa é fluída e sem interrupções. Estes dois amigos provavelmente têm muito que falar: informações e histórias repletas de detalhes que precisam de ser ser descritas o mais correcta (ou exageradamente) possível, quer seja com palavras, fotografias ou imagens.

Então, porque é que numa conversa online deveria existir a necessidade de interromper e mudar de aplicação quando se quer partilhar uma imagem, uma mensagem de texto ou chamada de vídeo?

Assim, o que se espera deste update é que não exista a necessidade de mudar de aplicação para partilhar diferentes contextos e momentos centralizando todas as formas de conversação numa mesma aplicação, criando uma interação fluída, capaz de incluir vários meios.

Será esta aproximação dos padrões mais comuns de comportamento a chave para o grande sucesso? A próxima vez que achar que os seus filhos adolescentes são esquisitos lembre-se: eles são mais humanos do que parece.

Sofia Carvalho, UX Designer

Comment