Este é o terceiro artigo da série Material Design e por agora já sabemos que o material design se preocupa com composição, cores e tipografia. Também já sabemos que utiliza noções da física como movimento, peso e massa

Hoje vamos explorar uma parte do movimento, as transições entre ações e ecrãs.

As transições fazem a ponte entre o ponto A e o ponto B e ajudam a construir uma experiência mais natural ao mesmo tempo que encaminham o olhar para um ponto de foco. Desta forma é possível criar uma storyline consistente entre os vários passos evitando confusões e perdas de atenção enquanto os elementos são re-arranjados no espaço ou se muda entre ecrãs.

Criar uma boa experiência ao utilizar movimento através de transições não é fácil e por isso as guidelines da Google sugerem o seguinte exercício: se todos os elementos em movimento no ecrã deixarem um rasto, o seu percurso deverá estar bem organizado no espaço e apontar claramente a direção do olhar.

De forma resumida, a chave para uma boa transição passa por encontrar uma continuidade visual, por definir uma hierarquia temporal e por ensaiar e coreografar elementos. Como sempre podem ler mais sobre estes assuntos no manifesto do material design ou ver outros exemplos aqui.

Sofia Carvalho, UX Designer

Comment