No último post vimos que uma das bases do material design era uma folha branca que, dependendo de como era dividida, criava diferentes grelhas de layouts.

Nesse mesmo texto, já dizíamos que um dos princípios base usados para criar uma boa grelha é a tipografia. E é de tipografia que vamos falar hoje.

Quando criamos uma grelha é fundamental definir certos detalhes: que fonte vai ser utilizada, em que tamanhos, sem esquecer que existe um número aconselhável de palavras por linha, para garantir uma melhor legibilidade.

Muitas vezes observamos layouts que acabam por ser danificados por uma má escolhas de fontes, por falta de organização ou por falta de hierarquização. Para evitar que isto aconteça, deve-se escolher um conjunto limitado de fontes e tamanhos que se ajustem à nossa grelha. 

Para os iniciantes fica uma ajuda: 12, 14, 16 , 20 e 24. Não são os números da chave da lotaria, mas são as dimensões base para uma escala de tamanhos de fontes que é necessária para garantir que existe um contraste mínimo entre os diferentes estilos e hierarquias.

Existem ainda muitos mais fatores a ter em conta: os bolds, espaçamentos, tracking e kerning, o tamanho da entrelinha e as regras para uma boa hifenização. Mas não vos quero cansar, por agora. Para ler mais já sabem: Google Design guidelines for type.

Sofia Carvalho, UX Designer

Comment