Sabia que a Google tinha um ancestral? Chamava-se Mundaneum e nasceu em Bruxelas (Bélgica), no final do século XIX. Foi criado por Paul Otlet (1868-1944), pioneiro das ciências da informação moderna, e Henri La Fontaine (1854-1943), futuro vencedor do Prémio Nobel da Paz — em 1913.

O âmbito do projeto passava por acumular e indexar, num único lugar, todas os conhecimentos do mundo, prefigurando o que idealizou Tim Berners Lee quando criou, há 26 anos, o World Wide Web.

O Mundaneum recolheu cerca de 200 mil livros, cartazes e jornais do mundo inteiro, nomeadamente entre 1895 e 1914.

O Repertório Bibliográfico Universal - em torno de 1900

O Repertório Bibliográfico Universal - em torno de 1900

O projeto abrangia ainda o denominado "Répertoire Bibliographique Universel" (Repertório Bibliográfico Universal) que chegou a conter 18 milhões de fichas de 12,5 x 7,5 centímetros, organizadas de forma a responder às perguntas: "Que obras escreveu um autor X?” e “O que foi escrito sobre o tema Y?”. No entanto, o projeto fracassou nos anos 1930 e os arquivos dispersaram.

O Mundaneum renasceu em 1998, sob a forma de um centro de arquivos e espaço de exposição, em Mons (Bélgica) a 15 quilómetros — e quase 100 anos depois — de um Data Center da Google.

Didier Hochart, Senior Ux Designer

Comment