Compatibilidade Tecnológica — TrulyMadly é o Tinder para o mercado indiano.


Uma parte importante do trabalho de UX passa por pesquisar e conhecer os utilizadores — saber quem e em que cenários vai ser utilizado aquilo que construímos. Fatores como a idade, a localização geográfica, o sexo, as habilitações literárias e o grau de habituação tecnológica são tradicionalmente equacionados.

Obviamente, os fatores culturais são também decisivos. Aliás, é interessante observar o que duas aplicações com objetivos semelhantes podem ter de diferente, tendo em conta o contexto sócio-cultural de um dado lugar.

Dou um exemplo específico — o TrulyMadly. Uma aplicação "à la Tinder" desenhada a pensar especificamente em jovens indianos, onde os criadores se depararam com o seguinte problema: "Como desenhar uma aplicação que promove as relações casuais num país onde a maior parte das mulheres não sente à vontade para falar — e marcar encontros — com desconhecidos?"

Durante o processo de pesquisa foi fundamental falar com os futuros utilizadores. Ao entrevistarem várias mulheres sobre o que as levaria a usar, ou não, uma aplicação como o Tinder, foi notória alguma desconfiança, mas também um interesse em usar uma aplicação deste género desde que fosse possível verificar os perfis e filtrar os possíveis "pretendentes" com categorias que lhes permitissem saber mais sobre os mesmos. Uma das soluções encontradas foi sugerir "matches" com base em pontos de interesse comuns e não na proximidade geográfica.

O TrulyMadly apresenta-se como uma aplicação que não se limita a juntar 2 pessoas, mas que pretende fazer o "match" correto entre elas. Podemos transpor esta premissa para a tecnologia no sentido de que uma boa experiência é um "match" perfeito entre as ferramentas oferecidas e a identidade e expectativas de quem as usa. 

 

Sofia Carvalho, UX Designer

Comment