Segundo a IBM, nos próximos anos vamos ter alguém que olhe por nós, sem que tenhamos que fazer mais do que sermos apenas nós próprios.

 Se as previsões estiverem certas, aparecerá um guarda-costas que observe, aprenda e reaja com base no nosso comportamento e os nossos hábitos dentro do contexto em diferentes aparelhos. Conseguirá armazenar uma quantidade enorme de informação e fazer inferências sobre o que se insere ou não nos nossos padrões típicos do dia-a-dia.

Quando detecta uma possível anomalia, intervém em nosso nome — com o nosso consentimento — para prevenir o uso fraudulento dos nossos dados mantendo ao mesmo tempo a privacidade da nossa informação pessoal.

 Uma coisa é certa: isto é capaz de dar muito jeito!

 

Susana Carvalho, Art Director

Comment