Enquanto muitos de nós seguiram o futuro da Grécia (e da Europa) nas televisões, a acção em directo ia-se mostrando no Snapchat. Uma rede social que, paulatinamente, se vai transformando num meio cada vez mais usado para comunicar notícias e eventos.

A grande diferença é que para além de notícias (neste caso, foi possível acompanhar a evolução da situação desde os dias anteriores ao referendo até as celebrações finais - pelo menos dos apoiantes do não), no Snapchat observamos as pessoas partilharem as suas crenças e defenderem as suas convicções.

Vimos os habitantes da Grécia explicarem ao resto do mundo o que estão a passar e o porquê de acreditarem no que acreditam. Vimos tudo isto e muito mais de uma geração que se julga tantas vezes adormecida e que se chegou à frente para mostrar ao mundo tudo o que havia para ver (no caso da Grécia, esta geração enfrenta uma taxa de desemprego jovem superior a 50%).

Com os líderes europeus em busca de soluções para a Grécia, um crowdfunding para auxiliar as várias caridades gregas e um mundo atento ao que lá se passa, é bom ver as redes sociais aplicadas à democracia e a fins sociais.

#faithinsocialmedia

Sofia Carvalho, UX Designer

Comment