E quando nos enganamos numa letra e... temos um vírus no computador? 


Já todos, de uma forma ou de outra, fomos apanhados em esquemas de burla e vírus na internet. Neste caso concreto, para quem não conhece, surgem dois termos utilizados pelos cibernautas

— Cybersquatting: aplica-se quando se regista um domínio na internet que esteja relacionado com grandes marcas, com a finalidade de revenda a um preço inflacionado. Assim, dado que o modo de registo de domínios é “o primeiro a registar, fica com ele”, faz com que esta prática tenha adeptos que registam dezenas, centenas ou até milhares de domínios sem que tenham relação alguma com a Marca/ Pessoa/ Empresa que está a registar.

Typosquatter: é o processo de registo de um domínio bastante semelhante a um website popular e de alto tráfego, mas onde existe apenas uma variação. Isto deve-se aos erros mais comuns quando procuramos um site. São eles:

  • Erros de ortografia, no caso de uma língua diferente;
  • Frase errada do nome de domínio;
  • TLD errado. Por exemplo, .net em vez de .com;
  • Enganos devido a erros de digitação.

Assim, ao cometermos alguns destes erros, somos levados até sites infetados com malware e que por sua vez injetam vírus no computador de quem os visita. 

Um exemplo de typosquatter é o site do Netflix.com. Com uma afluência de milhões de utilizadores diários, poderá ter em alguns destes utilizadores as duas potênciais vitimas, pois existe o Netflix.om, que mesmo não tendo uma imagem semelhante ao site original, tem na sua génese a disponibilização de videos, sendo que para vizualização dos mesmos é necessária a atualização do Flash. Caso o utilizador faça esta atualização, ficará infetado com virus. Além deste exemplo, temos o gmail.om, facebook.om, entre muitos outros.

Por estas razões, temos de passar a ter uma atenção redobrada na digitação do endereço que pretendemos visitar. Além disso, devemos desconfiar sempre que o que nos é mostrado aparente uma imagem algo diferente do habitual. 

Micael Matos, Account Manager

Comment