O utilizador das redes sociais depara-se, constantemente, com novos e diferentes formatos de expressar as suas experiências e emoções. Desde emojis em forma de botões, a memes (imagens com texto aplicável a cada situação), as hipóteses são intermináveis.

Contudo, hoje vamos falar apenas de imagens em movimento. Estas são, na sua essência, pequenos trechos de videos que se repetem até ao infinito e mais além, ou até decidirmos fazer scroll. Sim, estamos a falar de GIFS, um dos conteúdos preferidos da internet e que já anda por cá há mais de 25 anos. 

Quando pensamos neste formato de imagem, por norma, associamo-lo a conteúdos de “entretenimento”, muitas vezes ligados às personagens preferidas da internet: os gatos. Mas os GIFS não são só divertimento. Este tipo de imagem permite que pessoas ou marcas contem uma história de forma mais eficaz do que aconteceria se usassem apenas uma imagem estática. Simultaneamente, ajudam-se as marcas a seguir as tendências de uma web em constante evolução. 

Assim, a importância do GIF enquanto conteúdo tem vindo a ser reconhecido através do aparecimento de páginas como a GIPHY, que permitem a criação, catalogação e partilha deste género de conteúdo, ou a RIFFSY, um teclado de GIFS para dispositivos móveis.

Redes sociais como o Facebook ou o Twitter têm vindo a fazer alterações para que consigam suportar melhor este formato de imagem. Ainda no passado mês de fevereiro, o Twitter apresentou a GIF search, uma nova funcionalidade que permite aos utilizadores procurar e inserir GIFS em tweets ou mensagens diretamente através da aplicação. 

Também o Instagram, conhecida rede social de partilha de fotografia (e desde 2013 também de vídeo) criou a sua própria aplicação com a criação de algo que se assemelha a um GIF. Chama-se Boomerang e foi lançada em outubro do ano passado pelo Instagram. Esta permite o uso de imagens animadas que se repetem para a frente e para trás. 

Há poucos dias foi também lançada a nova aplicação da Google para iOS — Motion Stills. Aqui desenvolvem-se GIFS através de uma funcionalidade da Apple presente na última geração de devices, a Live Photos. A tecnologia presente nesta aplicação da Google permite, através de algoritmos avançados de motion tracking e estabilização de imagem, que o background esteja sempre estático e apenas o sujeito da imagem esteja em movimento. 

Tendo tudo isto em conta, será caso para dizer que os GIFS estão cada vez mais a ganhar um papel de relevo no que toca ao crescimento e inovação na web, particularmente nas redes sociais. E você leitor, o que acha?

Nuno Silva, Video & Photography Producer

Comment