Em janeiro, o Ângelo anunciava a possível revolução no Twitter (e a Joana Mateus, designer aqui na Wingman, ameaçava com a bomba atómica). Dizia-se, na altura, que a grande mudança estaria no (i)limite de 10.000 caracteres por tweet. O Ângelo — e creio que todos os que apreciamos o imediatismo que está na essência desta rede social — ficou preocupado.

RT @angelodelgado: “Por agora, não consigo olhar para um Twitter melhor, apresentando 10000 caracteres como limite.” #sqn

Caros utilizadores e simpatizantes do Twitter, a rede vai mudar, mas só ligeiramente. A partir da próxima semana, usernames e links para media já não entram para a contagem dos 140 caracteres, o que nos dá uma ligeira margem para conversação, e dizemos também adeus ao “.@“, já que poderemos retweetar as nossas próprias publicações, se quisermos que tenham mais visibilidade. Tudo o resto mantém-se: um tweet continua a ser um tweet, sem margem para “tweegarelar”.

Vânia Vieira, Copywriter

2 Comments