O mundo do email marketing é-me particularmente apelativo. Não só porque tenho trabalhado em projetos desta área, mas porque o email é o meio pelo qual eu própria prefiro receber comunicação das marcas. A minha inbox é uma espécie de sala de estar privativa onde só entra quem eu deixo e cujos pitchs vou ajustando à minha medida. Há quem se chateie ou desespere com a quantidade de emails acumulados; há quem esteja sempre a fazer unsubscribe, concluindo que tudo foi perda de tempo. Eu sinto sempre um frémitozinho de expectativa de cada vez que subscrevo um email.

As notícias sobre a morte do email ao longo dos tempos têm sido manifestamente exageradas. Em 2015, existiam mais de 2,5 mil milhões de utilizadores de email no mundo, cerca de 4,3 mil milhões de contas, e terão sido trocados uns 205 mil milhões de emails. Apesar da ascensão das redes sociais, das mensagens instantâneas e até de algumas tentativas de assassinato, podemos assumir que o email continua a ser largamente utilizado entre millennials e é um meio que gera retorno indiscutível para as marcas.

Esta semana, deixo-vos com alguns exemplos de marcas cujas newsletters me enchem as medidas. Todas elas garantem uma boa experiência em desktop e mobile. E o mais interessante é serem tão diferentes entre si:

1. JOSEFINAS

Até hoje, ainda não me tornei cliente da Josefinas. Aliás, é extremamente improvável que um dia vá comprar umas sabrinas de 300€. Mas para já sou cliente assídua das newsletters e do site. A comunicação da marca é spot-on e cada email é uma lufada de originalidade. A começar pelo subjects:

● 💪🏼 Vozes silenciadas nunca mais
● 😺 Miau Miau 🎃
● 🌹 Anda em Rose Bold!
● ❤️ O amor tem um significado

A estrutura é sempre diferente de email para email, o que cria surpresa:

E a terminar com a despedida cheia de ternura: Um grande beijinho, As mulheres Josefinas

2. MONOCLE

A revista dirigida por Tyler Brûlé é uma pièce de résistance num mundo de informação instantânea e attention span diminuta. Ser uma publicação sobre tudo o que constitui vanguarda em cultura urbana e tendências globais torna a Monocle ainda mais interessante nas opções assumidas em print e no online: grandes manchas de texto (o coração bate rápido), pouco espaço branco para “respirar” e design à antiga.

As newsletters diárias (Monocle Minute) distinguem-se de todas as outras na minha inbox pelos grandes blocos de conteúdo. As primeiras 4 histórias nem link têm — são mesmo para ser lidas diretamente no email.

 

Esta semana, o longo scroll da Monocle Minute trouxe-me um vídeo sobre um dos objetos que mais aprecio nesta vida: os lápis da Staedler. Longa vida à Monocle!

3. TRELLO

A newsletter do Trello não podia ser mais diferente da da Monocle. Vem só de vez em quando e, se o formato é extremamente minimal, o parco conteúdo lá dentro dá-me sempre uma vontade irresistível de clicar. Quando passo os olhos pelos títulos e botões que me prometem muito mais que mera leitura, só consigo pensar: bolas, isto está mesmo bem feito.

 

Menções honrosas:

The Muse
Medium
JetBlue

Em resumo
Não existe propriamente um modelo que se aplique a todas as marcas ou instituições. Tradicionalmente as newsletters de publicações ou media privilegiam mais o texto. As de moda e retalho apostam sobretudo em grandes imagens e expressões catchy. Mas, quanto a mim, há um elemento comum às melhores: conteúdo que surpreenda e que soe a autêntico. E essa é só a parte mais difícil de todas.

Joana Ribeiro, Copywriter

Comment