Uma boa maneira de medir a olhómetro o sucesso de uma plataforma é saber se já existe uma abreviatura para o seu nome. O Facebook já passou a “face”, o Instagram a “insta” e, no caso dos podcasts, as pessoas que querem mostrar que estão dentro da “cena” utilizam a expressão “pod”. 

Em franco crescimento, principalmente nos EUA, os podcasts já estão no radar dos negócios e de quem cria as suas estratégias de marketing. Quem, como eu, consome podcasts americanos estará já habituado à presença das marcas, que patrocinam e criam promoções em parceria com os autores. 

Os podcasts alheios, quando têm uma audiência relevante e fiel, são uma excelente plataforma para comunicar uma marca mas existe outra hipótese — criar o próprio Podcast. 

Já podemos encontrar bons exemplos de marcas que os utilizam como uma nova ramificação do seu Content Marketing. Será uma tendência daquelas que chegam e voltam como uma alga trazida pelo mar ou podem os “pods” potenciar a estratégia de uma empresa? (a aliteração foi propositada).

Começando do início, relembramos que os podcasts são ficheiros de som (e por vezes vídeo) que normalmente são organizados em séries com diferentes episódios, muito ao estilo de um programa de televisão. É um formato simples que pode trazer algumas vantagens para as marcas:

Aumenta a exposição da marca

Um podcast permite falar da área em que a marca é especialista, mostrando as áreas onde ela se move, dando conselhos, falando de casos reais e promovendo os serviços. 

Baixos custos

Ao contrário do que se pode imaginar, fazer um podcast não implica um investimento altíssimo. São fáceis de criar — um computador, um microfone e uns auscultadores chegam bem para o dano — e existem plataformas simples e com baixos (ou nenhuns) custos para fazer a distribuição dos conteúdos. 

Potencial publicitário

Como já foi referido no início, os podcasts alheios são uma plataforma a ter em conta, da mesma forma que o nosso próprio podcast pode vir a ser um veículo de excelência para apresentarmos os nossos produtos. Para isso, basta sermos interessantes o suficiente para atrair uma audiência numerosa e fiel. 

Um nova audiência

Há uma boa hipótese de que através do podcast seja possível chegar a um novo tipo de audiência. Um público que prefere absorver informação ao ouvi-la ao invés de ler ou interagir com uma grande quantidade de conteúdo.

Está em linha com os novos hábitos

Os consumidores de podcasts são pessoas que estão em linha com os novos hábitos de consumo de informação. Um podcast pode ser ouvido facilmente através de um smartphone ou tablet, a caminho do trabalho ou durante a corrida matinal, através de aplicações fáceis de usar e reconhecidas no mercado (Soundcloud, iTunes, Mixcloud etc)

A isto, alia-se a vantagem de ser um mercado ainda pouco explorado em Portugal. O projeto Maluco Beleza é talvez o melhor exemplo em Portugal de união entre marcas e podcasts. As audiências de podcasts (principalmente daqueles que não são programas de rádio) podem ser ainda um entrave, mas a verdade é que apesar de ser um fenómeno recente, os Podcasts estão a ganhar cada vez mais espaço em Portugal.

Chegou a altura de arriscar? 

Enquanto pensam na resposta, puxo a brasa à sardinha alheia e deixo-vos com um Podcast criado por alguém que trabalha aqui na casa. Boa audição!

Jorge Simões, Copywriter

Comment