Do outro lado do mundo, Wellington é um local de criação num país de visão. Como Lisboa, pretende-se assumir como um polo de excelência na atração de empreendedorismo, inovação e tecnologia. Mas é na ação que se capta uma qualidade mais profunda na intenção e mais fresca na estratégia.

Looksee Wellington é o exemplo acabado deste tipo de ação: a mega-iniciativa de recrutamento que pretende levar ao ecossistema neozelandês os melhores talentos na área das tecnologias digitais: e para tal, Wellington oferece a viagem a 100 candidatos promissores, para que possam ser entrevistados in-loco pelas empresas locais!

Não admira que até ao momento tenham sido recebidas mais de 35.000 entusiasmadas candidaturas.

Ainda, sobre esta cidade da remota Nova Zelândia, uma nota sobre consistência: numa das entradas de Wellington, encontramos a seguinte inscrição:

“IT’S TRUE YOU CAN’T LIVE HERE BY CHANCE, YOU HAVE TO DO AND BE, NOT SIMPLY WATCH OR EVEN DESCRIBE. THIS IS THE CITY OF ACTION, THE WORLD HEADQUARTERS OF THE VERB.”

Paulo Ramos, Digital Strategy & UX Design

Comment