A tecnologia têm-se mostrado cada vez mais como aliada inseparável da cosmética: desde escovas de cabelo com mais funcionalidades que uma nave espacial, às bases de maquilhagem inteligentes, os bad hair days estão a chegar ao fim (e farão verter uma lágrima nos mais descrentes).

Os contributos da AI e AR são inúmeros e vão para além dos filtros de snapchat. Pele perfeita, sim, mas a saúde e o bem-estar é o que realmente importa. Por isso as suas aplicações não ficaram apenas pela estética e um dos passos dados neste sentido foi a criação de um adesivo para a pele que ajuda a monitorizar a quantidade de raios UV a que a pele está sujeita, lançado no ano passado pela L’Oréal.

Não se trata apenas de inovar, mas sim de prestar um serviço ultra personalizado. Trata-se de dar a cada pessoa a resposta certa para cada um dos seus problemas - de cosmética, pelo menos - e através destas ferramentas garantir muito mais do que um cliente satisfeito: fidelização e lealdade a uma marca.

Apesar de estar a desbravar caminho, não é só o mundo da beleza que pede estas soluções e já dá dicas para que também outras indústrias criem experiências ainda mais à medida dos seus clientes.

Inês Esteves, Junior Consultant

Comment