Um estudo recente mostra como as publicações dos resultados de atividades físicas numa rede social influenciaram o comportamento dos seus amigos. Este estudo realizou-se por um período de 5 anos, em cerca de 1 milhão de praticantes de corrida chegando à conclusão que comportamentos saudáveis são, de facto, susceptíveis ao reforço social. Por exemplo, o bom tempo motiva as pessoas a percorrer distâncias maiores e quando publicaram tempos e rotas, como consequência os seus contactos nas redes sociais, em resposta, aumentaram também as suas distâncias mesmo que o tempo nos locais onde residem não estivesse tão agradável.

De acordo com esta pesquisa o "contágio" pelo exercício físico é uma realidade, principalmente ser for homem. Aliás, estudos anteriores sobre a disseminação de certas escolhas de estilo de vida: desde o altruísmo ao excesso de comida, mostraram que os hábitos podem viajar como vírus, quer para o bem ou quer para o mal.

Este é no entanto o primeiro estudo a analisar rigorosamente a propagação do exercício em grande escala. Os pesquisadores analisaram as distâncias, velocidades e tempo total que estes utilizadores correram, cobrindo 350 milhões de quilómetros em cinco anos.

Para provar a influência das redes sociais na motivação ao exercício, os cientistas colocaram de parte a propensão e disponibilidade para correr mais aos fins de semana e focaram-se essencialmente no estado atmosférico para medir resultados, uma vez que é mais provável as pessoas correrem com bom tempo.

Este estudo conclui que em cidades com clima bom, as corridas são mais longas mas como consequência da publicação de resultados, os seus amigos em cidades com clima menos ameno aumentaram também os tempos e distâncias das suas próprias corridas. Sugerindo que pelo menos parte desse exercício extra é da responsabilidade das redes sociais.

Aparentemente os homens parecem mais suscetíveis a este contágio que as mulheres, uma vez que são fortemente afetados pelos amigos do sexo masculino e moderadamente afetados pelas amigas, enquanto que as mulheres foram moderadamente afetadas por outras mulheres e estas, não foram afetadas pelos homens.

Curiosamente praticantes mais preguiçosos tiveram maior impacto na influência sobre os seus amigos. Cada vez que estes publicam maiores distâncias e melhores tempos, a rede de contactos reage com tendência a superar estes mesmos resultados.

Os investigadores sugerem assim, que postar publicamente os resultados de atividades físicas nas redes sociais encoraja comportamentos saudáveis. Vamos lá... deixem-se “contagiar” pelo que faz bem ao corpo e à alma, e não se esqueçam de postar os vossos resultados... 🙂

Verónica Sousa, Partnership Manager

Comment