Este ano apaixonei-me pelos Olímpicos. Todos.


Querem a verdade? Eu não me lembro de ver uma prova dos Jogos Olímpicos até este ano. Este ano vi quase todas as finais com um nervosismo que parecia que todos os atletas portugueses eram meus irmãos.

E porquê? Empatia, meus amigos. Conheci vários atletas portugueses que representaram Portugal, quando gravámos o safety vídeo da TAP. E tê-los ali à frente, conhecer a humildade, o sacrifício e o talento com que chegaram até ali, deu-me arrepios. E vontade de lhes dar beijinhos. Ok, mas fiquemo-nos pelos arrepios que ficamos melhor assim. É que quando se humaniza aquelas personagens que até ali só tínhamos visto na televisão, muda tudo. O Rui Bragança que não bebeu água todo o dia, que no dia seguinte tinha pesagens e já estava com os rigorosos 60kg que não podia ultrapassar. A Ana Rente que chegou atrasada às filmagens porque esteve a trabalhar. No hospital. Como médica. A Luciana Diniz e a Fu Yu voaram da Alemanha para gravar aquela meia-hora.

E todos os outros, que para ali estar só precisaram de ser os melhores do mundo no meio destes 7 biliões de gente, que têm uma vida normal e que por cima disso ainda têm uma camada de super-herói.

Obrigada por isso, TAP Portugal. Estou inspirada. 

Joana Mateus, Designer

Comment