Talvez possa parecer estranho, mas só descobri o verdadeiro significado da palavra copywriter quando estava na faculdade. Acabadinha de sair de um curso bastante complexo de Matemática, só conseguia ver números à frente — as letras tinham ficado esquecidas algures dentro de um caderno antigo. Mas tive a sorte de ter um professor incrível que me devolveu a paixão pelas letras e pelo que se pode fazer com elas. Foi ele que me explicou quase tudo o que precisava de saber sobre a escrita para os outros. AÍ, percebi que podia recuperar a minha antiga paixão pelas palavras, mas já não precisava de escrever as minhas histórias para ninguém ler: agora podia escrever para alguém, para muitos "alguéns".

Há algo de muito especial quando conseguimos transformar os nossos pensamentos em palavras, desenhando frases, dedicando-as a ninguém em especial, mas com especial cuidado para toda a gente.

 Os copywriters que trabalham numa agência, como eu, acabam por ser muito mais do que isso, porque há sempre tanto a acontecer que queremos cuidar de tudo. Envolvemo-nos em estratégias, apresentações, campanhas de redes sociais e até em criações complexas de targets.

Mas por mais que pareça que a escrita ficou perdida algures no tempo, nunca deixamos de ser aquelas pessoas que escrevem por prazer e, ainda por cima, fazem disso o seu emprego.

Marisa Comprido, Copywriter

Comment